EMAGRECER

Noz da Índia emagrece mesmo? Descubra

O consumo além da dose recomendada pode causar algumas reações adversas ao organismo

Na lista dos alimentos que podem ser usados para alcançar o tão sonhado peso, a noz da Índia aparece em destaque. Porém, muita gente ainda tem dúvidas quanto à eficácia do ingrediente e como utilizá-lo da forma correta.

Antes de começar a falar sobre as propriedades e benefícios da noz da Índia, é importante que você saiba que esse ou qualquer outro ingrediente não opera milagres, sendo necessário que haja uma adequação na sua rotina diária.

Essa adequação é conseguida através da regulação do cardápio alimentar, inclusão da prática de atividade física regular no dia a dia e ainda disciplina. Para isso, procurar ajuda de um especialista é imprescindível.

“Essa planta é muito utilizada na Indonésia e na Índia como uma especiaria. Então ela é cozida e utilizada nas preparações”, endossa a nutricionista Jéssica Borrelli, para o canal Bem-Estar, de Márcio Atalla.

Noz da Índia para emagrecer

Efeito emagrecedor da noz da Índia ainda é motivo de debate para muitos

Alguns sites que tratam dos benefícios da noz da Índia apontam o emagrecimento como o principal benefício do ingrediente, salvaguarda, quando utilizado da forma correta, o que inclui a orientação de um especialista.

No entanto, há muita divergência entre os especialistas sobre os benefícios da noz da Índia para o emagrecimento, uns dizem que funciona mesmo, já outros, não acreditam.

“A noz da Índia não emagrece como é vendida na internet. Alguns estudos mostram que o extrato da folha tem um efeito nalipase, que é uma enzima que inibe a absorção da enzima”, afirma Jéssica Borrelli.

Para que a noz da Índia proporcione o efeito emagrecedor, entre os asiáticos, por exemplo, ela é consumida de uma forma particular. Eles a consomem em pequenas quantidades e cozida. No preparo também entra a água quente.

A indicação da quantidade ideal de consumo da noz da Índia depende da necessidade e biotipo de cada pessoa. “O paciente tem de ser avaliado. Porém, como não existe estudos comprovando sua eficácia não é aconselhado o consumo”, alerta a nutricionista Máira Macedo.

Em casos em que a semente é indicada, o paciente tem de seguir algumas adequações na rotina diária. “A noz da Índia é um alimento muito potente que causa reações no organismo. Por isso ele deve ter um bom acompanhamento”, endossa Máira.

ingestão de água deve ser aumentada, justamente pelo efeito laxante e diurético da noz da Índia, para que o paciente não sofra de problemas como a desidratação. A quantidade a ser consumida vai aumentado gradativamente a cada semana.

O consumo além da dose recomendada pode causar algumas reações adversas ao organismo humano. Entre os principais, dores de estômago, diarreia, desidratação, enjoo, inchaço nas pernas e dores de cabeça.

Muitas vezes as pessoas confundem a noz da Índia com a chamada “noz falsa”, que é a de nome científico Thevetia peruviana. Ela é altamente tóxica e pode desencadear uma série de reações adversas ao corpo humano.

Dependendo do local onde ela é encontrada pode ser conhecida por muitos outros nomes, entre os principais, destaque para chapéu-de-napoleão.

O que é a noz da Índia

A noz da Índia é uma semente que agrega uma série de benefícios para à saúde, quando consumida da forma correta. Ela apresenta nome científico Aleurites moluccana e é originária da Indonésia, porém, se adaptou muito bem a países com clima tropical, o que inclui o Brasil.

Ela é originária da árvore Nogueira-de-Iguape. Ela ganhou fama devido ao seu poder emagrecedor. No entanto, a noz da Índia pode ser tóxica, caso usada de forma errada. Por isso, necessita de orientação profissional.

Na composição, a semente contém sais minerais como cálcio, potássio, fósforo, magnésio, cobre, selênio, ferro e zinco. A noz da Índia é composta de 64,5% de gorduras, 48% de carboidratos, 19% de fibras e 3,33% de proteínas.

Ela também pode causar efeitos colaterais no ser humano. Essa condição fez com que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibisse a venda da noz da Índia em todo território nacional.

De acordo com a resolução Federal RDC n°26/2014/Anvisa, a semente não pode ser utilizada na composição de produtos tradicionais fitoterápicos, pois é considerada tóxica e não possui eficácia e segurança comprovada.

A medida foi copiada por outros países, tais como Austrália, Espanha e Chile. Mediante a isso, é preciso tomar bastante cuidado para que a noz da Índia não traga problemas mais graves para a sua saúde.

Veja também: Benefícios e propriedades da noz da Índia 

Outros benefícios da noz da Índia

A noz da Índia, além de servir para eliminação de peso extra pode ser usada também para reduzir a celulite, amenizar as dores causadas pela artrite, interromper ou induzir a diarreia nas pessoas.

Para a saúde dos cabelos, a noz da Índia ajuda no crescimento e a tonifica-los. Já em relação a pele, o ingrediente trata uma série de doenças. “Estudos mostraram que ela tem uma ação anti-inflamatória e analgésica”, diz a nutricionista Jéssica Borrelli.

Na medicina tradicional a semente ainda trata dores de cabeça, ameniza a febre, ajuda na cicatrização de úlceras e trata a gonorreia. Não custa reforçar que todos esses benefícios só são possíveis com o uso adequado.

“Não existe um respaldo científico que realmente comprove que essa é uma planta segura para o consumo diário. Os próprios sites que vendem relatam que esse pode ser um dos efeitos colaterais”, conscientiza Jéssica.

Efeitos colaterais da noz da Índia

Todo alimento requer atenção aos seus efeitos colaterais. Com a noz da Índia não é diferente

Igualmente a outros alimentos, a noz da Índia também requer atenção aos seus efeitos colaterais (Ilustração: depositphotos)

Geralmente o consumo irresponsável ou demasiado da noz da Índia pode causar uma série de reações no corpo humano. “É importante tomar cuidado com esse consumo crônico sem orientação e indicação”, destaca Jéssica Borrelli.

De acordo com relato de alguns usuários, as dores de cabeça aparecem com mais frequência nas primeiras semanas de uso. Já outras pessoas se queixam da falta de saliva.

Outro problema que pode aparecer com relevante ênfase é a diarreia. “A noz da Índia pode fazer mal. Um dos efeitos dela é que possui ação laxativa. Ou seja, pode gerar diarreia. A diarreia crônica atrapalha a absorção de vitaminas e minerais”, diz Jéssica.

Quando há o consumo da noz da Índia, é indicado que o paciente aumente a ingestão diária de água, para que a desidratação não seja também um problema. O enjoo também pode ser uma condição apresentada pelos pacientes.

Na lista dos possíveis problemas que podem aparecer com a ingestão da semente é o inchaço nas pernas, flatulência, sensação de fadiga, dores musculares e pressão baixa (hipotensão).

Por isso que a ingestão da noz da Índia tem de ser recomendada e acompanhado por um profissional médico.

 

Fonte: Remédio Caseiro

%d blogueiros gostam disto: