Coronavirus

Como reconhecer e fugir dos golpes na internet.

 

 

Tem mesmo empresa de streaming liberando o sinal do seu conteúdo? Ou cervejaria distribuindo álcool em gel para a população? Esses são apenas dois dos golpes que estão sendo aplicados pelo Brasil em tempos de pandemia do coronavírus. Segundo o pesquisador da Kaspersky, Fábio Assolini, são exemplos que mostram como os golpistas têm se aperfeiçoado cada vez mais e demonstram a importância de se manter alerta nas redes.

Esses dois casos são bem emblemáticos porque demonstram como os fraudadores se aproveitam do momento para confundir os usuários. Por exemplo: de fato, algumas empresas de streaming liberaram o sinal, mas não a que eles colocam no golpe. E uma grande empresa também está distribuindo álcool em gel, mas para hospitais, e não para a população. Os golpes estão cada vez mais sofisticados e, em épocas como as de agora, em que há muita informação e medo circulando, é preciso redobrar a atenção

O especialista diz que as fraudes costumam ser feitas pelo Whatsapp. Há dois procedimentos comuns adotados: o envio de um link com promoções e ofertas falsas, onde é pedido para que o usuário informe seus dados pessoais e do cartão de crédito. Esse golpe é chamado de phishing.

O outro é quando o endereço da página leva para o download de um aplicativo, que vai funcionar como espião e passar para o golpista os dados gravados no celular, incluindo senhas de acesso bancário.

— O objetivo é sempre roubar dinheiro. As pessoas estão isoladas, com medo do corona e mais tempos conectadas. Isso tudo propicia o cenário ideal para o golpista se aproveitar desse momento. A dica geral é: desconfiar e pesquisar sempre.

Sem desespero

como fugir de golpes na internet Foto: Editoria de arte
Uma  pandemia como a do novo coronavírus gera ansiedade, medo e até pânico. Os fraudadores sabem disso e tentam se aproveitar da situação. Por isso, nessas horas, manter a calma é fundamental também para não cair em golpes da internet. Não forneça dados e nem clique em qualquer link por impulso, por mais alarmista e imediatista que soe a mensagem.

 

 

Na conversa…

A imensa maioria dos golpes vem hoje pelo WhatsApp, a ferramenta de troca de mensagens mais popular no Brasil. Antes de clicar, verifique quem está mandando o link e pergunte sobre o assunto. Se vier de um endereço desconhecido, não clique. O mesmo vale para e-mails.

 

Não baixe aplicativo através de links

Procure sempre o produto/empresa na loja on-line do seu sistema operacional (Android ou iOS).
Muitas pessoas estão trabalhando de casa e, por conta disso, acabam passando mais tempo conectadas (a reunião que antes era presencial passa a ser online, por exemplo) e, em muitos casos, em seus aparelhos pessoais, que costumam ser menos protegidos do que os das empresas. Redobre a atenção.

Phbcity.com