Hipnoterapia ajuda estudantes

Hipnoterapia ajuda estudantes para vestibular e concurso, diz psiquiatra que usa método

Técnica trabalha a autoconfiança, foco e melhora do desempenho dos candidatos durante a prestação de exames.

Quando o assunto é vestibular e concurso não é segredo que a cabeça do estudante vira uma bagunça. Estágio, provas, trabalhos, ansiedade e por aí vai. Muitos procuram psiquiatras e terapeutas para aliviar essa carga, porém o que vem chamando atenção ultimamente é o tratamento hipnótico. Um método que está tomando grandes proporções e reconhecimento no Piauí.

Para muitos o assunto ainda é novo, mas no consultório do psiquiatra Vicente Gomes, a procura tem aumentado. “Aumentou a quantidade de estudantes e candidatos de concursos que buscam o método da hipnoterapia. São pessoas dos mais variados problemas. É importante que primeiro se busque o principal problema, ou seja, o que está se passando para o paciente não conseguir focar e ter concentração. Após isso, a gente trabalha isso e consegue a curto ou longo prazo resolver”, disse.

A hipnoterapia pode ajudar vários estudantes que não sabem como agir em situações de extrema pressão. É o que explica o psiquiatra. “Ninguém nasce ansioso. Nossos problemas, medos, limites e preocupações existem porque primeiro foram criadas em nosso inconsciente. Se é a nossa mente quem cria a realidade em que vivemos, podemos eliminar o que nos incomoda. Com a hipnose, a gente trabalha a autoconfiança, foco, melhora do desempenho e o padrão de sono, fator que a pessoa aprende na hipnoterapia”, explicou.

Segundo o psiquiatra, a hipnoterapia é um tratamento em que tudo é feito de acordo com a própria aceitação de quem está sendo tratado. “A técnica trabalha com o relaxamento mental e corporal. A partir do momento em que o aluno relaxa, reduz o nível de ansiedade. Esse é o fator primordial que a gente orienta para que a pessoa consiga estudar. O método trabalha também a autoconfiança, foco e melhora do desempenho. O padrão de sono é outro fator que a pessoa aprende na hipnoterapia”, contou.

Fonte: g1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *