Scott Walker, cantor e compositor de pop experimental, morre aos 76 anos

Ele integrou a Walker Brothers, banda que fez sucesso nas décadas de 1960 e 1970. Walker gravou discos cultuados na carreira solo e produziu trilhas sonoras de filmes.

 

 

 

 

Scott Walker, cantor e compositor de pop experimental, morreu nesta segunda-feira (25), aos 76 anos, segundo a gravadora 4AD.

Scott dedicou mais de 50 anos à música, começando com a Walker Brothers, banda que foi sucesso nas décadas de 1960 e 1970. Depois, investiu na carreira solo como cantor e compositor.

Noel Scott Engel nasceu no estado americano de Ohio e cresceu na Califórnia, mas se mudou para Londres nos anos 60, cidade onde passou a viver. Por isso, também se dizia britânico.

Adotou o Walker em seu nome por causa da banda, embora ele e os outros integrantes do trio não fossem parentes.

Scott deixou uma filha, Lee, a neta, Emmi-Lee, e sua esposa, Beverly. A causa da morte não foi revelada no comunicado.

 Scott Walker, cantor e compositor britânico — Foto: Reprodução/Facebook

Scott Walker, cantor e compositor britânico — Foto: Reprodução/Facebook

Scott foi de ídolo adolescente a ícone do pop rock experimental e cultuado. Era um letrista que contava longas histórias entoadas com voz marcante.

Entre os sucessos da carreira solo de Walker estão “Jackie” (1967), “Joanna” (1968) e “Lights of Cincinnati” (1969).

Seus cinco primeiro discos foram lançados nos anos 60, incluindo um álbum com as música cantadas em um especial que foi ao ar na emissora BBC.

Um bom exemplo do porquê fazia um som chamado pela crítica de art pop foi o álbum “Scott 4”, de 1969. Na época do lançamento não foi bem recebido, mas depois passou a ser celebrado.

Scott lançou o disco com seu nome de batismo e o disco tinha referências à obra do escritor franco-argelino Albert Camus e ao cineasta sueco Ingmar Berman.

“The Seventh Seal” analisava o filme do diretor sueco (“O sétimo selo”) em pouco menos de cinco minutos.

Homenagens

Thom Yorke, vocalista do Radiohead, usou as redes sociais para homenagear o artista e citou exatamente essa influência musical.

“Muito triste em saber da morte de Scott Walker. Ele foi uma enorme influência para mim e para o Radiohead, me mostrando como usar a voz e as palavras. Eu o encontrei uma vez em Meltdown. Fará muita falta”.

Marc Almond, do Soft Cell, também citou a influência de Scott. “Ele me deu tanta inspiração que eu o usei de modelo até em meu corte de cabelo e os óculos escuros. Ele era enigmático, misterioso e, em algumas de suas últimas gravações, para mim, era enfurecedor. Um absoluto gênio musical”.

O mais recente trabalho de Scott foi a composição para a trilha do filme “Vox Lux”, em 2018. O filme é estrelado por Natalie Portman, Raffey Cassidy e Jude Law.

Fonte: G1